sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Vivendo e aprendendo a jogar

Rimas pra falar de amor, exclamação para expor decepções e reclamações. Reticências para divagações, vários pontos e vírgulas para separar todas as emoções.

Para alinhar os pensamentos desordenados precisava apenas seguir o cursor e linhas invisíveis apareciam para segurar as frases. Dar rumo aos sentidos perdidos parecia simples quando o destino era a tela.


Já faz bastante tempo do tempo em que eu achava mais fácil transformar sentimentos em letras. Hoje acho mais prático / rápido / intenso transformá-los em vida. E mesmo quando o resultado não é agradável, a gente vai sentindo, vivendo, aprendendo...