sábado, 11 de janeiro de 2014

Tem troco?

Amar não custa nada. Geralmente é bom, macio e infinito.

Caro é querer cegamente alguém pra si.

Pode se amar qualquer um. É de graça. Não necessita nem de motivo. Ama e pronto.

Querer tirar esse amor da "clandestinidade" e tomar 'posse' da pessoa amada é o que desequilibra.

Amor, como bem se sabe, é liberdade. E liberdade custa caro. Deixar o alvo do nosso amor 'solto' exige muito.

O respeito costuma ser a principal moeda de 'troca', mas há diversas outras. Confiança, apreço, sanidade... Tudo isso, e algo mais, é cobrado. Se há reciprocidade, há negócio.

Contudo, algumas vezes o amor é mesmo solitário... O preço de amar e não receber um trocado desse amor de volta machuca um bocado. E quando é assim resta a cada um redescobrir o seu valor.

Um comentário:

Larissa Bello disse...

Genial e verdadeiro, Anna! O amor não deve aprisionar ninguém, e sim nos libertar.

Bjos!