terça-feira, 17 de junho de 2014

50 anos depois, nunca foi tão difícil resistir...

Estamos cercados por políticos presos... Presos a contratos assinados com empresários milionários que acreditam ser donos do Brasil e chefes da nossa polícia - que devia apenas nos dar segurança.

Nesse ringue de todos os dias, estamos nós de um lado e o barões do outro. Estamos desarmados de armas de fogo e armados com esperança. Eles, com fogo até os dentes, mas desarmados de amor...

É uma luta cruel, desigualdade de forças e opiniões. Dificilmente o bem vence o mal nessas situações. Desistir parece mais fácil. Aceitar que fomos vencidos parece mais viável... 

Apesar dos herois da resistência que - sem armas nos punhos, mas cheios de amor no peito -, encararam os mal encarados 'cumpridores de ordens' sem medo e deram a cara a tapa e o corpo a balas de borracha, o fim aparece logo ali.


E no fim, quem ocupa não tem culpa. Quem não ocupa, também não tem. Alternativas existem, mas boa vontade parece que não. Só interesses. No meio desse jogo de interesses, a cidade precisa crescer. Utopia nossa esperar que ela cresça igualmente para todos...

Nenhum comentário: