segunda-feira, 30 de junho de 2014

Foi bom, valeu, adeus Orkut!


Anunciaram e garantiram. O Orkut vai acabar.

Em 30 de setembro de 2014 o que já foi a maior rede social da internet irá se transformar em história. Apesar de praticamente não mais acessar o site, nunca apaguei minha conta. Meu perfil continua intacto. E assim permanecerá até o sr. Orkut apagar tudo.

Foram muitas as coisas boas que aquela rede de comunidades me deu. Por exemplo, foi lá que conheci uma das minhas melhores amigas que de virtual passou a real e a best friend forever.

E, que ironia, olha a sorte do dia:




sábado, 28 de junho de 2014

Porque eu sei que é amor...


Já fui quase, já fui nunca,
Já fui jamais, já fui por pouco.
Agora posso ser SEMPRE contigo.

Fabrício Carpinejar

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Ouro de tolo


Um na garganta é muitas vezes um laço de afeto desfeito no peito. Noutras vezes, nem isso.



domingo, 22 de junho de 2014

Quociente


Cada momento de fraqueza que sobrevivo passa a ser um momento de mais força no fim das contas.

sábado, 21 de junho de 2014

Há exceção

Para tudo há prazo.

Um prazo de validade, ainda que certas vezes seja desconhecido, para cada coisa e para cada um de nós.

Para tudo há vencimento.

Exceto para os sentimentos. Sentimentos verdadeiros permanecem... Mesmo que mudem.


quarta-feira, 18 de junho de 2014

terça-feira, 17 de junho de 2014

50 anos depois, nunca foi tão difícil resistir...

Estamos cercados por políticos presos... Presos a contratos assinados com empresários milionários que acreditam ser donos do Brasil e chefes da nossa polícia - que devia apenas nos dar segurança.

Nesse ringue de todos os dias, estamos nós de um lado e o barões do outro. Estamos desarmados de armas de fogo e armados com esperança. Eles, com fogo até os dentes, mas desarmados de amor...

É uma luta cruel, desigualdade de forças e opiniões. Dificilmente o bem vence o mal nessas situações. Desistir parece mais fácil. Aceitar que fomos vencidos parece mais viável... 

Apesar dos herois da resistência que - sem armas nos punhos, mas cheios de amor no peito -, encararam os mal encarados 'cumpridores de ordens' sem medo e deram a cara a tapa e o corpo a balas de borracha, o fim aparece logo ali.


E no fim, quem ocupa não tem culpa. Quem não ocupa, também não tem. Alternativas existem, mas boa vontade parece que não. Só interesses. No meio desse jogo de interesses, a cidade precisa crescer. Utopia nossa esperar que ela cresça igualmente para todos...

quarta-feira, 11 de junho de 2014

Longe, lá de longe...

O que eu desejo mesmo é poder levar todas as pessoas queridas para longe daqui.

Longe da corrupção, longe dos crimes, do trabalho quase escravo de alguns, do transporte ruim, da má vontade do atendente, dos desvios de verba pública, da discriminação, do tal 'jeitinho brasileiro'.

Pudesse eu criar outro pais, longe dessas leis que não valem nada, longe de onde o dinheiro vale mais que caráter... Tão longe que pudesse fazer todos acreditarem que é possível um mundo sem esses vermes que nos rondam.

Talvez se as crianças crescessem longe dessas barbaridades, ainda houvesse alguma chance de termos fé na humanidade. Por agora, assim como está, é difícil acreditar.

domingo, 8 de junho de 2014

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Matemática amorosa


Não é dividir de subtrair... É muito mais complexo. É somar dividindo. É adicionar tirando-se de si e doando-se ao outro. É profundo. Intenso e leve ao mesmo tempo. E é bonito, finito ou infinito, mesmo se ficar confuso.

terça-feira, 3 de junho de 2014

Because...

"When the sun shines, we'll shine together
Told you I'll be here forever
Said I'll always be a friend
Took an oath I'ma stick it out till the end"