quarta-feira, 4 de março de 2015

Uma arte

A arte da perda não é difícil de ter;
por tanta coisa cheia de intenção de ser perdida, 
sua perda não é um desastre

Perca algo todo dia. 
Aceite a chave perdida, a hora mal gasta 
A arte da perda não é difícil de ter

Treine perder mais: 
lugares e nomes, a escala da viagem. 
Nenhum deles será um desastre

Perdi o relógio da minha mãe. E, olha!
perdi três casas que amei
A arte da perda não é difícil de ter;

Perdi duas cidades. E o vasto
reino que possuía, dois rios, um continente
Sinto falta, mas não foi um desastre

– Mesmo perder você (a voz, o riso que eu amo). 
Não vou ter mentido. É evidente. 
A arte da perda não é difícil de ter, 
embora possa parecer um desastre.


One art, Elizabeth Bishop. Tradução livre.

Um comentário:

Lulu on the sky disse...

Que fofo esse poema Aninha.
Obrigada pela força.
big beijos